Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

TI Verde Por Ramon Rosa da Silva

A pratica da TI verde se da escolhendo fornecedores que assumam sua responsabilidade ecológica, utilização materiais renováveis, descartamento de correto de materiais, virtualização, economia de energia entre outros atos que venham em favor sustentabilidade da computação. De forma geral essa pratica procura diminuir o desperdício e aumentar a eficiência.
Muitas pessoas não sabem mas uma forma simples de diminuir o gasto de energia é desligar o monitor quando não está sendo utilizado, principalmente quando é CRT, que pode consumir até 80% da energia do computador. Ainda bem estamos caminhando para monitores mais econômicos como LCDs e de LEDs, que consomem muito menos que os CRT.
Hoje em dia a TI verde está saindo da teoria e entrando em pratica nas grandes empresas, muitas por economia e consciência, outros por publicidades, como concursos como “Top Green 500”, com a escolha dos 500 computadores mais eficientes energeticamente, mas em fim o que importa é a adesão das empresas na TI verde.
Vale lembrar que além do hardware o software também tem grande importância na TI verde, imagine que quanto menor o processamento, menor aquecimento, que se relaciona com refrigeração interna do equipamento e do ambiente. No desenvolvimento o software também pode ser feito de forma sustentável, em forma colaborativa, criando módulos que possam ser melhorados, procurando a reutilização de formas comprovadas de eficiência.
Estive semana passada em uma empresa a ViaFlow de consultoria que em parceria com a IBM, trabalha com implantação de um sistema de GED (Gerenciamento Eletrônico de Documentos), o sistema se trata da digitalização de documentos, visando facilitar o gerenciamento deste documento, e o que eu achei mais interessante, permite anular todos documentos em papel, mantendo-os apenas no sistema, com a mesma validade jurídica, um sistema que elimina papéis é importante não somente para empresas de TI, e sim para todas empresas que trabalhem com um volume considerável de documentos em papel.
Eu trabalhei em um hospital de tamanho médio, e vi um grande volume de documentos gerados em papel apenas para fins jurídicos, pois o sistema podia abranger todas as atividades sem a necessidade de papel.
Sistemas como GED, ou simplesmente gerar em PDF e utilizar e-mail ao invés de imprimir relatórios, ou de desligar os monitores, ou virtualização, entre outros métodos, não são utilizados por estrar intrinsecamente no subconsciente¹ a desconfiança da segurança do software ou hardware.
Acredito que quando as empresas e pessoas tiverem maior consciência do desperdício que fazem, trocarão a cultura atual, por outra com maior confiança em tecnologias com um consciência ecológica.

¹ Nota: Lembra as aulas de psicologia, talvez um psicologo possa ajudar nesse processo de mudanças. Se não me der bem no área de tecnologia vou cursar psicologia...

Um comentário:

Diogo Rossato disse...

Olá Ramon!
Parabens pelo post.
Abraço, Diogo.